23 de novembro de 2014

Kalil fala sobre propostas por Bernard, Jorge Henrique, futuro no Galo e outros temas

Em entrevista ao Arena SPORTV, Kalil fala sobre "possível" saida de Bernard, negociação com Jorge Henrique e outros assuntos- Foto: Douglas Patrício

Em entrevista ao Arena SPORTV, Kalil fala sobre “possível” saida de Bernard, negociação com Jorge Henrique e outros assuntos – Foto: Douglas Patrício

A quinta-feira começou bastante agitada para o torcedor atleticano, que está ansiosa pelo jogo decisivo diante do Tijuana, ás 22h, no Independência. Porém, antes disso, nesta tarde, o presidente do Galo, Alexandre Kalil, participou do programa Arena SPORTV, que foi realizado no próprio estádio do Horto. Na entrevista, o mandatário alvinegro falou sobre assuntos importantes e novidades do clube alvinegro, entre elas a “possível” saída de Bernard após a Libertadores, propostas por  jogadores do elenco,  negociação com o atacante do Corinthians Jorge Henrique e outros assuntos.

Veja as declarações do presidente Alexandre Kalil:

“Possível” saída de Bernard após a Libertadores

” São cinco clubes interessados no Bernard e eu acho muito difícil segurá-lo após a Libertadores. Um presidente de clube que não é da Alemanha. Os alemães vieram aqui, mas, nem chegaram a falar comigo, fizeram uma visita de cortesia. Um clube inglês falou em preço”.

Valor do Bernard

” Não vou falar quanto quero por ele, porque senão o cara que viria a mais, virá a menos. O futebol brasileiro contrata jogador de 6 milhões de euros. Os clubes que querem hoje levar o Bernard por 15 milhões de euros, eu agradeço, viro as costas e vou embora. Então, como vou vender uma estrela de 20 anos, jogador mais jovem da Seleção Brasileira, por 15?”.

Propostas por outros jogadores

” O Atlético compra e vende, do mesmo jeito que a torcida pediu e nós fizemos, com investimento próprio, para trazer o Tardelli. O Atlético não vai chutar dinheiro. Nós temos que viabilizar o clube na questão de venda e compra.  Você pega um jogador por ano e põe (no clube ou vende). Tivemos propostas nessa janela para o Réver, Luan, Bernard, para o Tardelli. Só que não fico falando”.

Negociação com Jorge Henrique do Corinthians

” Acho difícil, porque o empresário esteve comigo. Ele falou a condição do Jorge Henrique é ‘essa, essa e essa’, falei pode trazer. Empresário é assim, eles querem que você discuta, mas, falei ‘está bom, pode trazer’, estou esperando até hoje. Isso tem 15 dias, então, acho difícil. A maioria dos empresários é assim, não faz nada. Disse que pode trazer, mas, tem quase 20 dias e não vai trazer, porque esse inclusive nunca trouxe ninguém”.

Final da Libertadores no Independência

” Nós entregamos uma vasta documentação (para a Conmebol), temos esse período da Copa das Confederações para que ela seja analisada. Claro que a modernidade, a segurança, o que vem acontecendo aqui ( no Independência) sem nenhum problema, vai pesar muito na decisão da Conmebol, de que se possa ou não levar uma eventual final para o Independência. O regulamento tem brechas, tem que ser feito um trabalho para mostrar que lugar bom não é grande e, sim, confortável e seguro”.

Saída de R10 do Flamengo, pressão da mída e sucesso no Galo

” O que esse rapaz (Ronaldinho) passou foi uma sacanagem absoluta, foi desumano. Mas, ele cometeu os erros dele? Sim, cometeu. Só que o preço que a mídia nacional estava cobrando dele achei extremamente exagerado. Então, vamos pelo caminho mais fácil: escrachar o Ronaldo e deixar o Flamengo como está. Como estava. Isso foi um absurdo, no meu ponto de vista. Quando eu conversei com ele, eu falei: ‘Olha, você tem que mostrar que você não é o que estão falando. Eu não tenho para dar o salário que fingiam que te pagavam. Mas, com um salário que vou te pagar, vou ter dar condição (de jogar bem)”.

Boa fase de Jô no Atlético e a não convocação para a Seleção

” Acho o Jô o melhor atacante hoje no Brasil. Cornetei o Felipão ‘você largou o melhor atacante do Brasil em Minas Gerais. Jô e Tardelli’. Ele (Felipão) ainda brincou: ‘Ah, por sua conta eu levava o Atlético todo’. E levava mesmo. Se me perguntarem qual foi a maior sacanagem dessa convocação, foi o Jô”.

Futuro na presidência do Atlético

” Eu tenho mais um ano e meio no Atlético. Eu sou um tirano lá dentro. Só eu mando, ninguém manda nada. Mas, eu sou um legalista. Eu sou contra golpes. Não sou dado a golpes. O clube teve golpes em toda a sua história”.

Sucessor no comando do Galo

” Quem entrar vai pegar um clube um pouco mais estruturado. Claro que vai ter um alto e baixo, mas, dentro da projeção de time grande, que sobe e desce um pouco. É isso que o próximo presidente vai pegar e tem obrigação de nos entregar. Estou trabalhando na escolha de um sucessor”.

O Atlético entra em campo na noite desta quinta feira (30), ás 22h, em jogo decisivo diante do Tijuana, no Independência. Na primeira partida, mineiros e mexicanos ficaram no empate em 2 a 2.

Confira também...

Comentários